Edifícios Importantes


Câmara Municipal

Edifício inaugurado em 1957. Construção de estilo neoclássico. A construção dos novos Paços do Concelho tiveram início em 1920, com projecto do arquitecto António Correia da Silva, porém as obras só foram concluídas em 1965 já sob a orientação do arquitecto Carlos Ramos. De salientar no interior, o salão dos “Passos Perdidos”, todo em mármore preto, e decorado com duas figuras que simbolizam a Honra e a Concórdia.







Torre de Pedro Pitões

Casa – torre medieval descoberta na altura das demolições do Terreiro da Sé na década de 1940. Foi então completamente reconstruída, deslocada do lugar original. De salientar na parede Norte um balcão em pedra de estilo gótico. O Gabinete de História da Cidade aqui esteve instalado até 1960.
















Forte de S. Francisco Xavier ou Castelo do Queijo

Construído em 1661 no lugar da Pedra do Queijo (lugar de culto sagrado para os Draganes, uma tribo celta que terá chegado à Península Ibérica no século VI A.C.), segundo desenho de Miguel l’ Ecole. Insere- se no conjunto de fortalezas de defesa marítima. Foi ocupado pelos Miguelistas durante o cerco do Porto, e, muito danificado pelas forças liberais. Esteve abandonado por algum tempo, até vir a servir como quartel do Destacamento nº 1 da Brigada Naval do Porto. Em 1975 foi entregue à Associação dos Comandos da Zona Norte. Classificado como Imóvel de Interesse Público pelo Decreto nº 23.684, de 20 de março de 1934.



Forte de S. João Baptista ou Castelo da Foz

Construção iniciada em 1570 durante a regência de Dª Catarina, foi somente concluído em 1647. Inserido numa linha defensiva da costa, assegurava a protecção da barra do Douro. De salientar no seu interior as ruínas da antiga igreja de S, João da Foz, mandada construir pelo Bispo D. Miguel da Silva, e, desenhada pelo arquitecto italiano Francesco da Cremona.











Palácio da Bolsa

Também apelidado de Palácio da Associação Comercial do Porto. Estilo neoclássico. De salientar no seu interior o salão árabe, lugar onde se homenageam as personagens importantes que visitam a cidade.










Palácio da Bandeirinha

Mandado construir em 1575 pelo fidalgo D. Pedro da Cunha, no lugar de uma antiga judiaria. No século XVII, foi habitado pela família dos Cunhas e Vilhenas. No século XVIII, passou para a família Portocarrero.No largo frontal ao edifício, numa pirâmide de granito colocava- se a “bandeirinha da saúde”, que delimitava o lugar de atracagem dos navios em tempo de peste. De salientar o brasão dos Cunhas Portocarrero na frontaria. Por razão de partilhas, o Palácio foi vendido ao Instituto das Filhas da Caridade Canossianas Missionarias.




Palácio dos Terenas

Também conhecida por Casa de Pedro Sem por a este ter pertencido, ou, por Torre da Marca, devido á sua proximidade com o Padrão Marítimo de 1542. A Torre data de meados do século XV, e o Palácio de fins do século XVII, foi mandado construir pelos Brandão de Mello, descendentes de Pedro Sem. Pertenceu depois aos Marqueses de Terena, posteriormente aos Marqueses de Monfalim, que o venderam à Diocese. Aqui se instalaram os Bispos enquanto o Paço Episcopal esteve ocupado pela Câmara Municipal do Porto.





Palácio dos Pestanas


















Palácio de S. João Novo

Construído no século XVIII, pelo Mestre António Pereira, para Pedro da Costa Lima, nobre da Casa Real.














Palácio de S. Roque


















Palácio das Artes

Situado no lugar do Convento de S. Domingos do século XIII. O edifício foi parcialmente destruído por um incêndio em 1832, durante o cerco do Porto. Foi então cedido ao Banco de Lisboa (agora Banco de Portugal). Ocupado pela Companhia de Seguros Douro em 1935.











Palácio dos Condes de Azevedo


















Palácio dos Viscondes de Balsemão

Século XVIII, arrendado serviu depois como hospedaria. Aqui se alojou o Rei Carlos Alberto da Sardenha, após o seu exílio.














Palácio da Justiça

Actual Tribunal Judicial de 2ª instância do Porto
Projecto de 1961 por Raúl Rodrigues de Lima. Construído nos lugares ocupados pelos antigos Celeiros, pela Capela do Senhor Jesus do Calvário Novo,e pelo Hospício de Santo António da Cordoaria. De referir que os Antigos Celeiros, foram depois Mercado do Peixe (1874-1952), e o Hospício de Santo António da Cordoaria, foi mais tarde Roda dos Expostos (1838-1854). qui na fachada está a uníca estátua da Justiça, que não é cega ou está vendada em todo o mundo.








Palacete de Belomonte




















Palacete Manuelino da Foz



















Antiga Casa do Poço das Patas

Edifício construído em 1812 por Francisco de Sousa Cirne de Madureira, para ser a residência habitacional da sua familia. Comprado o edifício em 1896, pela Junta de Freguesia, para aqui instalar a escola primária. Com as obras sofridas em 1955 o edifício acolheu a Junta de Freguesia.











Casa do Infante

Diz a lenda que aqui nasceu o Infante D. Henrique. É também conhecida como Casa da Rua da Alfândega Velha. É um dos edifícios mais antigos da cidade.



















Casa de Ramalde

Construção dos finais do século XV, princípios do século XVI, em terrenos da família Leite. Este solar foi remodelado no século XVIII, segundo desenho de Nicolau Nasoni. Devido ao facto de nas invasões francesas, em 1807, ter sido saqueada e incendiada pelas tropas de Soult, ficou também a ser conhecida pela Quinta da Queimada. Seria restaurada em 1870. Por herança pertenceu aos Távoras, que a venderam ao Estado.









Casa da Rua de D. Hugo nº 5

Século XIX, de salientar na parede exterior do lado Norte a fachada invertida de um edifício gótico. No seu interior foram descobertos vestígios arqueológicos da idade do ferro (castro), época romana e época medieval.


















Casa da Rua de S. Miguel nº 4

Integrada num conjunto representativo da arquitectura portuense do século XVII ao XIX. Na fachada encontram- se azulejos setecentistas com cenas do quotidiano e paisagens, provenientes da sala do Capítulo do Mosteiro de S. Bento da Vitória.











Casa da Rua da Reboleira nº 59

Casa- Torre do século XIV.





















Casa de Almeida Garrett
























Casa de Pinho Leal



















Casa da Viscondessa de Lobão

Construída nos inícios do século XX. É de salientar os seus elementos decorativos próprios da Arte Nova, um lago e uma mata onde se encontram espécies vegetais raras.














Casa Oficina António Carneiro

Pertenceu ao pintor portuense António Carneiro e foi mandada construir pelo próprio nos anos 20 do século XX, para servir como sua residência e como atelier, e mais tarde do seu filho, Carlos Carneiro, igualmente pintor. Mais tarde passou à posse da Câmara Municipal.











Casa de Serralves

















Hospital de Stº António

Projecto do Arquitecto inglês John Carr. Construção iniciada em 1790, e finalizada em 1825.
















Alfândega Nova

Edifício construído sobre estacaria no antigo areal de Miragaia. Projectado em 1860 pelo arquitecto francês C. Colson, foi inaugurado em 1869. O projecto inicial sofreu alterações durante as obras, sendo criado um terceiro piso nos corpos laterais, sob a responsabilidade dos engenheiros Alberto e Torquato Álvares Ribeiro. Esta construção impulsionou uma reforma urbanística da zona, principalmente com a abertura da Rua Nova da Alfândega. Foi considerado em 2014 o melhor Centro de Conferências da Europa.







Liceu Alexandre Herculano

Quando o Porto foi dividido em duas zonas escolares, a Oriental e a Ocidental, cada zona continha vários liceus, coordenados por um liceu central. Em 26 de Setembro de 1908,foi designado para Liceu Central da Zona Oriental o Liceu Central Alexandre Herculano. Foi escolhido para o local do edifício um dos talhões da antiga Quinta de Sacais. Foi inaugurado no ano lectivo de 1921/22.









Liceu Rodrigues de Freitas



















Colégio dos Maristas

Edifício de 1900. foi entre 1926 até 1958 o Colégio de Nª Srª do Rosário. Desde 1959 até 1991 foi o Colégio dos Maristas. Actualmente é uma dependência do Banco Espiríto Santo. Pela recuperação do edifício recebeu o prémio “João de Almada 2006”.










Real Acolhimento Orfãs de Nª Srª da Esperança

Foi fundado para recolher e educar os órfãos da diocese do Porto,pelo Padre Baltasar Guedes em 25 de Março de 1651, com alvará régio de D. João IV, datado de 30 de Janeiro de 1651.Foi entregue aos Padres Salesianos em 1951.













Cadeia da Relação

Edifício  construído por iniciativa do regedor das Justiças e governador das Armas do Porto, João de Almada e Melo, com  planta do engenheiro e arquitecto Eugénio dos Santos  em 1765 no lugar do anterior Tribunal / cadeia construído em 1609, e, que ruiu  a 1 de Abril de 1752.
A obra foi concluída em 1796.
Actualmente aqui funciona o Centro de Fotografia do Porto.










Feitoria Inglesa

























Companhia Aurifícia












Antigo Casino da Foz
Fundado no século XIX.
Aqui se encontram actualmente as instalações da Universidade Sénior da Foz e do Orfeão da Foz.













Chalé Suiço
Antigo Quiosque do Carneiro. nome que estava associado à pessoa ao qual pertencia, o Carneiro.
Foi frequentado por Camilo Castelo Branco e Ramalho Ortigão entre outras figuras da época.
Da sua Cave contam- se " histórias Maçónicas ".







Casa onde  nasceu o monge Bernardo Vasconcelos
da  Ordem de S. Bento















Seminário dos Meninos Desamparados














Asilo de Mendicidade do Porto












Casa Tait




Shopping Center Brasília
Construção de 1976, era único na cidade e na Península Ibérica

Pavilhão da Água










Projecto dos arquitectos Alexandre Burmester e José Carlos Gonçalves.
A forma como foi projectado de forma dá a ilusão de  estar suspenso no ar.
No seu interior,através da água  é exposto um conjunto de efeitos de luz, cor e som

Edifício Transparente


Inaugurado em  15-06- 2007.
Construído no âmbito da Porto 2001 - Capital Europeia da Cultura.
 As fachadas “transparentes” são constituídas por molduras prefabricadas em betão branco e vidro temperado produzidas com aros metálicos a envolver o betão armado.