As Igrejas

Igreja da Vilarinha ou S. Martinho de Aldoar

Foi inaugurada a 27 de Março de 1738.
Era a Igreja Matriz da antiga Vila de Aldoar.













Igreja Paroquial do Sr. do Bonfim

Construída no lugar de uma antiga capela entre 1874 e 1894, e é consagrada a Santa Clara e ao Senhor do Bonfim.



















Igreja Paroquial de Stª Maria de Campanhã

Construção de 1714. As suas origens poderão estar ligadas à antiga Igreja de Sanctae Mariae de Campanham, do século XIII. Foi saqueada durante as invasões francesas (Março de 1809). Durante o cerco do Porto (1832 / 33), sofreu vários danos. De salientar no seu interior, a imagem de Nª Srª de Campanhã, em pedra de Ançã, e, que data do século XIV.















Igreja Românica de Cedofeita

Nome com origem na lenda de que em 559, o rei suevo Teodemiro tendo o seu filho Ariamiro, enfermo, mandou os seus emissários a S. Martinho de Tours com ouro e prata como ofertas para cura deste. Como a sua fé era grande, mandou construir uma igreja, com tal empenho, que quando os seus emissários retornaram, já esta estava construída, e daí a frasa "cedo feita". Na lenda consta também de que o rei e seu filho aqui foram batizados. Desta igreja sobreviveram dois capitéis calcários do período da reconquista Cristã. O templo sofreu uma reforma em 1087. No final do século XII, com a sua transformação em Colegiada, a Igreja sofreu importantes alterações. Tal como na Sé do Porto, aqui trabalharam artistas de formação coimbrã, como o comprovam o tímpano de Agnus- Dei, e, o desenho de diversos capitéis. Em 1930 a Igreja sofreu grandes obras de restauro.



Igreja Paroquial de S. João da Foz

Construção iniciada entre 1709 e 1713, em terrenos cedidos á Ordem de S. Bento pelo Deão Jerónimo de Noronha de Távora Leme Cernache. De referir que a antiga Igreja de S. João Batista pertencente a esta Ordem, tinha sido parcialmente destruída devido á remodelação do Castelo da Foz. A Capela- mor ficou concluída em 1727, e foi Sagrada em 1736. A Sacristia data de 1743/45.
de salientar no exterior a "Fonte dos Frades".







Igreja Paroqual de S. Martinho de Lordelo

Obra de construção iniciada em 1764, sobre um antigo edifício mais pequeno, só ficou completa em 1867 com a construção da torre do sino. Em 1888, a frontaria e as torres foram recobertas por azulejos da Fábrica de Massarelos, e o restante corpo em 1949, e, remodelado em 1982..















Igreja Paroquial do Corpo Santo de Massarelos

Construída em 1776 no lugar da antiga Ermida da Confraria das Almas do Corpo Santo de Massarelos, fundada por mareantes em 1394, e, a qual pela tradição teria como um dos confrades o Infante D. Henrique. Estilo barroco. A esta pertenceria uma frota de navios, alguns dos quais requisitados por Filipe I para a sua armada. O painel de azulejos, de Mendes da Silva, colocado em 1960, representa S. Telmo e o Infante D. Henrique.







Igreja Paroquial de S. Pedro de Miragaia

Época medieval, reconstruída nos séculos XVII e XVIII. Anexa à Igreja, na Capela do Espírito Santo existem ainda vestígios do antigo Hospício medieval. De salientar no Museu da Confraria, um tríptico da escola holandesa oferecido no século XVI.

















Igreja Paroquial de S. Miguel de Nevogilde

Estilo barroco. Obra iniciada entre 1729 e 1737, com projecto de Mestre- Pedreiro Domingos Costa, com a morte deste, as obras foram entregues a José Maria Bouça e outros. A obra de carpintaria foi realizada por artesãos locais. O retábulo- mor é obra do entalhador Manuel da Costa Andrade. A torre- sineira foi terminada em 1881 e o Adro vedado mais tarde.







Igreja Paroquial de S. Veríssimo de Paranhos

Construção de data incerta. Em 1845 sofreu reparações exteriores pelo mestre- trolha Tomé Alves d’ Oliveira da Arca de Água. Ainda neste século foi- lhe acrescentada a Torre Sul. Desde então foram executadas diversas obras de restauro, conservação e beneficiação. A segunda torre foi acrescentada em 1946. No adro situa- se a capela do Sr do Socorro. Por trás da Capela- mor está o mais antigo cruzeiro de Paranhos (século XVIII).













Igreja de S. Salvador de Ramalde

Construída nos inícios do século XVIII, sendo que o Altar- mor foi restaurado em 1921. O seu Tesouro e Livro de Visitações desapareceram durante o cerco do Porto.

















Igreja Paroquial de S. Nicolau

Construída em 1671,no lugar de uma antiga ermida do século XIII, que servia religiosamente a freguesia. Sofreu um incêndio em 1758, e a sua reconstrução foi concluída em 1762. De salientar no seu interior várias peças de ourivesaria.

















Igreja  Paroquial de Stº Ildefonso

Construída em 1730, no lugar de uma antiga ermida dedicada a Santo Alifon. Estilo renascença, a capela- mor, com decoração de Nicolau Nasoni é em estilo barroco.

















Igreja Paroquial de Nª Srª da Vitória

Construída no antigo lugar da judiaria do Olival. Obra concluída em 1539. Restaurada no século XVIII devido ao facto de ter ficado bastante danificada num incêndio. De salientar num dos altares uma imagem de Nª Srª da Vitória, talhada em madeira por Soares dos Reis.










Igreja Paroquial de Aldoar

Projecto de Alfredo Moreira da Silva, em forma de tenda. Foi inaugurada em 1988. Pode acolher 560 pessoas sentadas e mil em pé.














Igreja Paroquial de Cedofeita

Construção iniciada em 1899, por iniciativa do Prior António Maria Correia de Bastos Pina, a primeira missa celebrou- se em 1906 pelo bispo D. António Meireles.










Antiga Igreja de S. João da Foz


Mandada construir pelo Bispo D. Miguel da Silva, pertencente à Ordem Beneditina de Santo Tirso e Bispo de Viseu,  no lugar de um antigo mosteiro construído em 599, em homenagem a S. João Batista, para assinalar o desembarque aqui executado por embaixadores do rei suevo Reciário, o Ariarico. Desenhada pelo arquitecto italiano Francesco da Cremona. A Igreja de S. João da Foz foi o primeiro monumento português em estilo renascentista,
D. Miguel da Silva, aqui construiu o seu palácio. mas nunca o chegou a habitar, devida a conflitos com o Rei D. João III.
Depois, e para defesa da costa, aqui foi construído o Forte de S. João em torno da Igreja e do palácio, tendo os padres aqui residentes mandado construir e se deslocado para a Igreja de S. João da Foz.


Igreja Paroquial de Ramalde












Igreja de Stº António das Antas













Igreja da Areosa













Igreja de Nª Srª de Fátima

















Igreja Antiga do Carvalhido


















Igreja Nova do Carvalhido














Igreja da Lapa

Por vontade de D. Pedro IV, o seu coração foi depositado nesta Igreja.
A participação do Porto nas lutas liberais (1832-1833), criou no monarca empatia e gratidão pela cidade, honrando- a com a sua permanência nesta desde 26 de Julho até 6 de Agosto, altura em que várias cerimónias se realizaram. Entre estas cerimónias destecou- se a entrega das Chaves da Cidade pelo Presidente da Câmara à Rainha, que terminou com uma Oração de Graças e um “Te Deum” na Igreja da Lapa.










Igreja Metodista do Mirante


















Igreja de Nª Srª do Terço

Construção de 1759. Fachada, em estilo rococó
O retábulo da capela-mor é de 1776 construído por  José Teixeira Guimarães
Contíguo à igreja, localiza- se o  Hospital da Nossa Senhora do Terço e Caridade, desde 1781.










Igreja de S.  João Novo

















Igreja dos Capuchinhos


















Igreja da Srª do Porto

















Igreja do Foco













Igreja de Nª Srª do Patrocínio

















Igreja da Imaculada Conceição

Construída em 1947, com desenho do arquitecto Paulo Bellot, monge beneditino.



















Igreja e Torre dos Clérigos

Construída entre 1754 e1763.Projecto de Nicolau Nasoni. Mandada erigir por D. Jerónimo de Távora Noronha Leme e Sernache, a pedido da Irmandade dos Clérigos Pobres.
Com 75 metros de altura distribuídos por 240 degraus que cobrem 6 andares, era na altura da construção o edifício mais alto de Portugal.















Igreja dos Carmelitas

Também chamada de  Igreja dos Carmelitas Descalços.
Construção iniciada  em 1616 e concluída em 1628. A decoração do interior ficou pronta em 1650.
Estava anexada a um antigo convento, que é actualmente o edifício da Guarda Nacional Republicana.















Igreja da Ordem Terceira do Carmo

Construída na segunda metade do século XVIII em estilo rococó por projecto de José Figueiredo Seixas. A fachada lateral foi recoberta com um enorme painel de azulejo com desenho de Silvestre Silvestri em 1912.










Igreja de S. Lourenço

Também conhecida por Igreja dos Grilos. Construída pelos Jesuítas em 1577. Estilo barroco. Foi doação do Marquês de Pombal à Universidade de Coimbra. Comprada pelos Frades Descalços de Stº Agostinho (também conhecidos por Frades- Grilos) em 1780. É pertença do Seminário Maior desde 1834.








Igreja do Marquês


















Igreja Dominicana do Cristo Rei













Igreja da Santíssima Ordem da Trindade

Construída no século XIX, por iniciativa da Ordem da Trindade. Projecto em estilo neoclássico do arquitecto Carlos Amarante. De salientar no interior um painel de grandes dimensões do pintor José de Brito.
















Igreja dos Congregados

Construída em 1703. Estilo barroco. Apresenta azulejos modernos e vitrais de 1929 da autoria de F. Mendes de Oliveira.



















Igreja da Misericórdia

Construção iniciada em 1555 e concluída em 1559 de estilo renascentista com reminescências góticas. Benzida em 13 de Dezembro de 1559, por D. Rodrigo Pinheiro
A capela-mor foi construída em 1584
Recebeu o Santíssimo em 1590
A fachada foi destruída por um relâmpago em Abril de 1621.
Revestida de azulejos em 1628
Foi reedificada por Nicolau Nasoni em 1748 em estilo barroco com formas de rococó




Igreja do Santíssimo Sacramento

















Tabernaculum Baptista












Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias