As Capelas

CAPELA DE S. MIGUEL-O-ANJO
Construído em 1527, por ordem do Bispo de Viseu, D. Miguel da Silva, e, desenhado pelo arquitecto italiano Francesco da Cremona, segundo padrões renascentistas, é o mais antigo farol existente em Portugal. Substituído pelo Farol da Luz, foi desactivado em 1882.








CAPELA DO SENHOR JESUS DA BOA-VISTA
Capela edificada em 1767. Reconstruída e ampliada em 1864.
Em 1797 o Padre José Maria de Sousa doou este património pela renda de 4000 Réis anuais a Custódio Gonçalves e esposa Joanna Rosa.
De salientar no interior uma escultura  de Nª Srª do Porto, que na altura das invasões francesas , estava à venda por um soldado francês , um funcionário da Câmara  Municipal do Porto de nome Lourenço Inverno,  comprou- a por 480 Réis  e levou-a  para a Capela.







CAPELA DAS ALMAS
Construção do século XVIII, com restauros e ampliação em 1801. As fachadas em 1929 foram revestidas de azulejos da autoria de Eduardo Leite, produzidos na Fábrica de Cerâmica Viúva Lamego. De salientar no interior uma imagem de Nª Srª das Almas do século XVIII.










CAPELA DOS ALFAIATES
O primitivo edifício foi construído em frente à porta principal da Sé no século XVI, e era pertença da Irmandade dos Alfaiates. Em 1940 por alargamento do Terreiro da Sé, a capela foi apeada, sendo reconstruída mais tarde no actual lugar. De salientar no seu interior, o retábulo de Nª Srª de Agosto em talha dourada do século XVII, em estilo maneirista de inspiração flamenga. É considerada Monumento Nacional.









CAPELA DO REI CARLOS ALBERTO
Nos Jardins do Palácio de Cristal, mandada construir pela Princesa Augusta de Montléart , irmã do Rei Carlos Alberto, em memória deste.











CAPELA DA SENHORA DA SILVA
Aqui funciona desde o século XV a Confraria de Nª Srª da Silva. Neste edifício encontra- se a capela da Confraria que juntamente com uma albergaria era administrada pelos ferreiros, caldeireiros e anzoleiros da cidade.











CAPELA DA SENHORA DAS DORES E DO CALVÁRIO




CAPELA DE SANTA ANASTÁCIA
Mandada construir pela população, com medo das pestes que existiram entre 1575 e 1577, e por a população ficar intacta.












CAPELA DE NOSSA SENHORA DOS ANJOS
Mandada construir pelo Padre franciscano José Pinto de Moura nos finais do século XIX.












CAPELA DE GONDARÉM

CAPELA DE SANTA CATARINA

CAPELA DO BOM SUCESSO

CAPELA DA BOA NOVA

CAPELA DA SENHORA DA ESPERANÇA

CAPELA DA SENHORA DA SAÚDE

CAPELA DA SENHORA DAS VERDADES

CAPELA DA SENHORA DA LADA

CAPELA DA BOA HORA
Foi antigo hospício de monges bentos, que por aqui ser um lugar saudável, mandavam para aqui os seus doentes.












CAPELA DA SENHORA DA CONCEIÇÃO

CAPELA DE  S. CRISPIM

CAPELA DA SENHORA DO Ó
Século XVII, e remodelada no século XIX.
Antiga capela da Srª da Piedade ou do Cais.
O actual nome provém de para aqui se ter transferido a imagem de Nª Srª do Ó, proveniente da Capela da Porta da Ribeira demolida em 1821.










CAPELA  DAS CARMELITAS


CAPELA DE S. JOSÉ DAS TAIPAS
Construção iniciada em 1795 e concluída em 1878.
Estilo neo- clássico. Projecto de Carlos Amarante.
De salientar no interior um quadro alusivo ao Desastre da Ponte das Barcas.










CAPELA DE BELÉM



CAPELA DE S. ROQUE


CAPELA DA SENHORA DO SOCORRO


CAPELA DA SENHORA DA CONCEIÇÃO
Antiga Capela do Mártir S. Sebastião












CAPELA DA SENHORA DA SAÚDE E DO SENHOR DO BONFIM E PIEDADE





ORATÓRIA DA CAPELA DE S. SEBASTIÃO
Construída pelos Ordem dos Agostinhos Descalços sediados na Igreja dos Grilos. Fazia parte de um conjunto de oratórios pertencentes ao percurso da Procissão do Sr dos Passos, que esta Ordem organizou até 1832.










CAPELA DO SENHOR E DA SENHORA DA AJUDA
Construída nos finais do século XVI, e em princípios do século XVII. Restaurada em 1919 e 1920. Pela antiga lenda, Catarina Fernandes descobriu uma imagem da Virgem, que guardou, e para a qual a capela foi construída. Posteriormente aqui foi colocada a imagem do Sr da Ajuda.









CAPELA DO PARQUE DE S. ROQUE


CAPELA DO LARGO DO INFANTE


CAPELA DE Nª Srª DA lAPA


CAPELA, MEMORIAL E FONTE DA SENHORA
Em 1722, após uma grande seca, foi realizada pelos habitantes de Campanhã uma procissão em honra a Nª Srª.
Durante a procissão, a imagem caiu do Andor e partiu uma mão.
No dia a seguir, no lugar onde a mão caiu, tinha brotado água, tendo aqui nascido uma fonte.
No lugar  construiu- se um Memorial restaurado em 1961,sendo a capela inaugurada na mesma data.






CAPELA DOMINICANA DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA


CAPELA DO PALÁCIO DOS PESTANAS


CRUZEIRO DO SENHOR DO PADRÃO
Fundado em 1738. Inicialmente colocado na Rua de 9 de Julho, onde permaneceu até 1930, altura em que foi removido para o actual lugar. Foi recuperado pela Câmara Municipal do Porto em 2000.










CRUZEIRO DO SENHOR DOS PASSOS E DA Srª DAS DORES